terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A “Escola” Verdes Anos

Pelo Expresso da última semana fiquei a saber da existência de uma escola de 1º ciclo, alternativa ao ensino convencional : a “Casa Verdes Anos”, num espaço alugado no Palácio Marquês de Fronteira, junto ao Parque Florestal de Monsanto.
Foi uma iniciativa de quatro casais, insatisfeitos com as propostas convencionais de ensino e crentes de que o “ensino doméstico” não era a melhor alternativa.
Montaram uma escola com um projecto adequado aos seus ideais : prioridade à educação ambiental mas também à Matemática e ao Português … Aprende-se passeando por Monsanto ( faça chuva ou sol), brinca-se ao ar livre, aprende-se a fazer pão, a tingir lã e a tricotar; estimulam-se as expressões artísticas e actividades como a carpintaria ; faz-se reciclagem e compostagem do lixo, cultiva-se uma horta ; desenvolve-se a responsabilidade , a cooperação e a autonomia ; respeitam-se os ritmos de cada um mas ensina-se a gerir o tempo para perceber que têm de fazer actividades em várias áreas.
A filosofia do projecto “baseia-se na Pedagogia Waldorf, no Movimento da Escola Moderna e numa educação para os valores”. Acredita-se que “é possível trabalhar ao mesmo tempo o lado racional e emocional das crianças”.

São já 80 alunos, 25 dos quais no 1º ciclo que podem começar o dia “ com um bom dia ao Sol, à chuva ou à natureza, aos outros e aos animais “ !!

Como não é um ensino reconhecido pelo Ministério da Educação, os alunos do 4º ano fazem exame na escola oficial onde estão inscritos. Será que depois são capazes de compreender que o mundo escolar é bem diferente do seu nicho de bem estar? E se forem depois menos felizes, não será importante lembrar os anos bons? E não serão esses anos os que nunca mais vão esquecer ,depois de esquecerem tudo o que não lhes interessar?

6 comentários:

ZIA disse...

Ai, para quando a escola ideal que possa e saiba concretizar o que de bom existe em cada corrente?
Muito interessante este projecto.
Abraço
ZIA

Rosa dos Ventos disse...

Também li esta reportagem e achei o projecto interessante.
Os meus dois concertos correram muito bem, talvez possam contribuir para um mundo com mais conserto! :-))

Abraço

Isa disse...

Gostava de dar aos meus Amigos prendas lindas,embrulhadas em papel
cheio de estrelas e laços dourados e prateados. Ñ é possível! Então dou-vos o meu Coração cheio de Carinho,Amor e Amizade! O laço,esse,
é feito de Sinceridade e Verdade!
Santo Natal.
Beijo.
isa.

Zélia disse...

Á CONTA DESTE COLEGIO ESTÁ UM MENINO DE DOIS ANOS Á PORTA DA MORTE!!!! COMO E POSSIVEL UMA CRIANÇA NO RECREIO TER ACESSO A UM POÇO????? E TER CAIDO E NÃO DAREM PELA FALTA DELE????? É PARA ISTO QUE SE QUER A COMUNHÃO COM A NATUREZA????? É ASSIM QUE QUEREM TER OS VOSSOS FILHOS?ENQUANTO TRABALHAM DESCANSADOS????

Márcia disse...

Penso que antes de criticarmos é preciso saber a fundo o que realmente aconteceu.Estão muitos a sofrer com o falecimento dessa criança.Os acidentes são sempre traumáticos para todos, principalmente para os que estão directamente ligados ao ocorrido.Me preocupa bastante ver que algumas pessoas, em questão de segundos desvalorizam o trabalho de anos.Esse ou outro acidente poderia ter ocorrido com qualquer uma de nós, espero que seja esse o único comentário menos feliz que apareça na página, que todos os outros sejam de solidariedade para com os que estão directamente envolvidos no acidente, pois é isso que mais precisam neste momento.

Rik Y Rishi disse...

Para a Zélia. Não esqueça, que mais de 70% das mortes de crianças afogadas dá-se em piscinas ou em locais enquanto estão sob a supervisão dos seus próprios pais ou familiares próximos. Não creio que esses pais sejam piores que os outros. Viver é perigosos e uma das consequencias desse perigo é a morte.