quarta-feira, 4 de agosto de 2010

“Orações” segundo Saramago


Acabei de reler “O Memorial do Convento”. Isto de “reler” começa por me fazer sentir a perder tempo mas quando a primeira leitura foi há muito tempo há mesmo uma percepção diferente do texto. Foi o que aconteceu.
E sobre as orações que se fazem pedindo isto e aquilo e a propósito da que terá sido feita pelos frades franciscanos pedindo um herdeiro para o Rei, Saramago divaga sobre as “Orações” :

“ Nem sempre se pode ter tudo, quantas vezes pedindo isto se alcança aquilo, que esse é o mistério das orações, lançamo-las ao ar com uma intenção que é nossa, mas elas escolhem o seu próprio caminho, às vezes atrasam-se para deixar passar outras que tenham partido depois, e não é raro que algumas se acasalem, assim nascendo orações arraçadas ou mestiças, que não são nem o pai nem a mãe que tiveram, quando calha brigam, param na estrada a debater contradições, e por isso é que se pediu um rapaz e veio uma rapariga … “

Gostei da complexidade das “orações” de Saramago! Percebi a confusão que às vezes se estabelece nas nossas vidas …

2 comentários:

Isa disse...

Agora tb estou a reler um livro de Saramago.
Achei interessante o que citou.
Beijo.
isa.

Rosa dos Ventos disse...

Gostei muito desta obra!
Quanto às orações o nosso Nobel tem muita razão! :-))