segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Colher nozes

Nunca tinha colhido nozes, melhor, não reconhecia uma nogueira. No Alentejo, quando eu ainda era miúda corria pelas veredas dos caminhos que me levavam ao monte onde moravam os meus avós e sempre fui atraída pelas árvores. Fui aprendendo a reconhecer um sobreiro, uma azinheira, uma oliveira e todas as árvores de fruto.
Mas naquela época havia poucas nogueiras no Alentejo, daí a minha ignorância.
No sábado estive a visitar a família e o meu tio levou-me ao seu terreno para colhermos nozes das suas nogueiras, plantadas por ele há já alguns anos. Raramente vou nesta época ao Alentejo, por isso este contacto directo com as nogueiras e a colheita das nozes foi uma experiência nova.

Nogueiras e oliveiras lado a lado

Espreitando o fruto
Colhendo as que estão prontas para descascar
O tio plantador de nozes em terreno alentejano

5 comentários:

goiaba disse...

Pois eu também fui e colhi nozes e gostei muito. Conhecia uma nogueira mas nunca tinha colhido nozes ... E também colhemos dióspiros enormes e tomates. Na "próxima encarnação" vai ser diferente! ( quero uma árvore de fruto de cada espécie, quero uma horta, quero ...)
( a propósito : vou fazer gelado de dióspiro)
Para o ano quero ir aos figos!

Mar Lis Goiaba disse...

Não podemos esquecer esse teu desejo, temos que ir no fim de Agosto. Afinal estamos perto, é uma questão de planeamento de férias.

Ver de Vida disse...

Marquesices

Sou um Biólogo e Professor Brasileiro. Percorro páginas diversas para divulgar o Ver de Vida, dedicado à causa ambiental.

Felicidade nesta sua bela jornada.

Cláudio J. Gontijo

ZIA disse...

eu não fui desta vez, eu já tentei postar um comenmtário várias vezes e...vou tentar uma última - dizer que gostei muito da reportagem e de ver as nozes dentro daquela capinha!
E agora fico à espera de provar o tal de gelado de diospiro,
abração
ZIA

peonia disse...

Belo passeio!! O campo dá-nos liberdade e não só... Pena é não possuirmos o dom da ubiquidade!!