quarta-feira, 14 de julho de 2010

NOTAS DO PORTO


Um dos dias passados no Porto foi dedicado, de manhã, à Casa da Música e, de tarde, a Serralves, dois pólos da modernidade de que o Porto e, logicamente, todos os portugueses se podem e devem orgulhar.
Como todos os dias em que nos passeámos pelo Porto, munidas do nosso Andante, nome do passe/ bilhete recarregável para o metro e outros transportes públicos, lá fomos em direcção à Casa da Música, onde tivemos a sorte do costume – uma visita guiada que tinha iniciado apenas alguns minutos antes.
Imaginada para assinalar o ano de 2001, altura em que a cidade do Porto foi Capital Europeia da Cultura, a Casa da Música é o primeiro edifício construído em Portugal exclusivamente dedicado à Música, tanto no campo dos espectáculos como na formação artística e da criação.
O projecto Casa da Música resultou de um concurso internacional de arquitectura que escolheu a solução apresentada por Rem Koolhaas e as obras iniciaram-se ainda em 1999, num espaço próximo da Rotunda da Boavista, tendo sido a Casa da Música inaugurada na primavera de 2005.
Concebida para ser a casa de todas as músicas, este edifício integra-se no processo de renovação urbana da cidade e numa rede de equipamentos culturais. É uma instituição que acolhe um projecto cultural inovador e abrangente e que assume a dinamização do meio musical nacional e internacional, nas mais variadas áreas, da clássica ao jazz, do fado à electrónica, da grande produção internacional aos projectos mais experimentais.
As visitas guiadas são realizadas para dar a conhecer as diversas componentes do edifício, assim como divulgar e interagir com os diversos equipamentos/instrumentos existentes nos espaços públicos.
Agora, falta-me voltar e assistir ao vivo a um espectáculo para poder apreciar e desfrutar de tanto conforto e tecnologia ao serviço da arte. E há uma programação tão diversificada!!
De tarde, fomos à descoberta da Fundação de Serralves, numa tarde de sol e céu azul, excelente programa! É realmente uma instituição notável, dedicada à arte contemporânea e ao ambiente, com um património natural vocacionado para a educação e animação ambientais. Vimos uma exposição impressionante da pintora sul africana, Marlene Dumas, Contra o Muro e, depois perdemo-nos por meio do verde das árvores, do cantar dos pássaros e das sombras amigas e refrescantes. Deixo-vos com as imagens, que falam por si, e a sugestão de uma visita a estes dois novos espaços da Invicta.

2 comentários:

goiaba disse...

Lá fui de boleia, levada pela descrição e pelas fotos,à Casa da Música e a Serralves. Obrigada, sempre é mais uma aproximação...

Isa disse...

Mais uma vez a Zia nos leva a um passeio lindo e vivido com entusiasmo.Fotos lindas!
Adorei a partilha!
Beijo.
isa.