sexta-feira, 6 de maio de 2011

Paolo Conte no CCB

Acabada a longuíssima espera – os bilhetes estavam bem guardadinhos na escrivaninha desde inícios de Janeiro – lá assisti ao concerto do ano, Paolo Conte em Lisboa, para apresentação do seu mais recente álbum, Nelson (nome do deu cão).


Conheço este cantautor italiano de há relativamente pouco tempo, desde que comecei a frequentar as aulas de italiano. Ouvi várias canções no Instituto, estudei vários poemas das suas canções, deliciei-me com as histórias que narra, através de uma voz rouca característica e acompanhadas por uma banda virtuosíssima. Mas sentir tudo isto ao vivo é realmente uma emoção diferente e muito forte.

Assim, deixo aqui um pequeno vídeo para partilhar com todos, uma das muitas canções desta voz rouca, por vezes já cansada mas cheia de mistério e de intimismo. E fica o convite feito por ele próprio – “o homem que não tem nada para inventar / tenta sonhar, tenta sonhar…”

Vibrei, cantarolei, bati ritmos, aplaudi, dei gritos de alegria e Bravos! A música tem mesmo esse poder de libertação e saí de alma lavada. Que bem necessitada anda…

4 comentários:

Mar Lis Goiaba disse...

Também gostei de o ouvir,mas achei "tiro o chapéu" aos músicos do grupo, são excepcionais.
O Paolo Conte tem muito de inovador na utilização dos sons vocais ritmados, como mantras, ou aqueles sons do interior evocando o vento, a alegrias, as emoções.

Mar Lis Goiaba disse...

Enganei-me na escrita, existe um "mas achei" a mais, peço desculpa.

goiaba disse...

Gostei deste bocadinho já que não fui ao outro ... fui ao cinema à noite (!!) ver "Jane Eyre" - saudosismos.

isa disse...

Que bom que gostaram!
São momentos de grande beleza!
Beijo.
isa.