terça-feira, 17 de maio de 2011

Tenho? Não tenho?

Quando procurava notícias Boas para o nosso comentário de domingo encontrei uma notícia curiosa … Vejam :


Descoberto "gene da felicidade"

“Parte da felicidade dos humanos pode dever-se à genética, sugere um estudo publicado no “Journal of Human Genetics”, segundo o qual as pessoas com duas variantes longas de um gene chamado 5-HTT podem ver mais facilmente o lado bom das coisas, pelo que conseguem ser mais felizes.

Nesta investigação, Jan-Emmanuel De Neve, investigador da Escola de Londres de Economia e Ciência Política, recorreu a dados de um estudo americano que analisou 2574 pre- adolescentes ao longo de 13 anos, entre 1995 e 2008. O objectivo do cientista era perceber por que motivo algumas pessoas parecem naturalmente mais felizes do que outras. Concluiu então que quem nasce com as duas versões maiores do 5-HTT tem mais probabilidades de se sentir satisfeito com a vida, do que os que nascem com uma versão mais curta”

“Cada pessoa apresenta duas variantes do gene, uma derivada do cromossoma do pai e outra do da mãe, sendo que as variantes mais longas possibilitam uma melhor libertação e reciclagem da serotonina do que a variante mais pequena. O 5-HTT está envolvido no transporte desta molécula neurotransmissora que, entre outros aspectos, está associada ao sentimento de bem-estar”.

O estudo em que este investigador se baseou foi feito na Universidade Duke (na Carolina do Norte, EUA) com crianças até aos 12 anos de idade que apresentavam duas cadeias curtas do cromossoma 5-HTT. Conclui-se que estavam mais sujeitas a stress e estavam envolvidas com mais frequência em situações de “bullying”do que os indivíduos com cadeias longas do mesmo cromossoma.

(Eu acho que o meu 5-HTT tem uma variante longa e outra curta … ou serão as duas longas? …)

5 comentários:

Mar Lis Goiaba disse...

Creio que tive sorte, devo ter apanhado o melhor da genética!

ZIA disse...

Pois eu cá tenho os dois em equilíbrio mas alegre e feliz por teimosia, claro!!

isa disse...

Belo post!
Acho que há um equilíbrio em mim!
Que bom!
Beijo.
isa.

Rosa dos Ventos disse...

Os meus têm dias! :-))

Abraço

peonia disse...

De facto, a genética explica muita coisa. Por mim, acho-me "muito herdeira" dos meus pais, mas persisto em cultivar a vontade de ser feliz...