quarta-feira, 29 de junho de 2011

As Irmãs Amor de Deus deixam Lisboa

É notícia que nos interessa porque durante anos colaborámos com o Externato Educação Popular sob a orientação pedagógica dessa Congregação. Apoiámos a instalação do 2º e 3º ciclo, estabelecemos a ligação com a Escola oficial da zona que, nos primeiros anos, serviu de suporte administrativo. Connosco, outros também o fizeram.

Depois demos por lá aulas durante 10 ou mais anos com a dedicação de quem também tinha ali uma missão. Depois rejeitámos opções e posições da Direcção Executiva e não sentimos grande apoio da Direcção Pedagógica da altura … depois saímos mas a ligação a alguns membros da Congregação permaneceu. Por elas estivemos ontem numa vigília organizada pela Junta de Freguesia e pelos “amigos” do Bairro da Serafina e do Bairro da Liberdade … ali, de um lado e outro do Aqueduto das Águas Livres, no caminho para Monsanto.

A Congregação Amor de Deus foi fundada pelo padre Usera e “resultou da experiência da sua própria vida pastoral e apostólica nas Antilhas espanholas do Caribe”. A necessidade de ter um grupo de pessoas dedicadas ao ensino levou-o a uma busca junto de outras Congregações e de quem detinha na Europa informação sobre “os melhores métodos de ensino”. E de uma Associação de Senhoras interessadas em “cumprir com os santos e patrióticos fins da sua comissão”, chegou, depois de longo caminho, à criação da Congregação das Irmãs Amor de Deus. O primeiro colégio destinado a instruir as primeiras Irmãs e futuras formadoras de crianças e jovens foi em Espanha, na cidade de Toro. A fundação da Congregação aconteceu a 27 de Abril de 1864 na Igreja das Mercedárias Descalças de Toro e nos anos seguintes espalhou-se por outras localidades de Espanha e, a partir de 1871 por Cuba de onde saíram depois da Revolução. Nos anos 30 cresceram em França e em Portugal. Começaram com um colégio no Porto ( ainda hoje a funcionar na Rua do Campo Alegre), depois Coimbra, Guimarães e, em 1942, “a Congregação foi chamada a S.João do Estoril onde se estabeleceu num edifício público” – inicialmente colónia de férias, agora pré-escolar e 1º ciclo. Por essa altura a Associação Educação Popular de Lisboa, criada por leigos para apoio social e educativo nos Bairros da Liberdade e da Serafina ( na época dos mais pobres e marginalizados da cidade), pediu apoio à Congregação. Um grupo de Irmãs instalou-se a partir daí em casa cedida pela Associação no Bairro da Liberdade e passaram a ter a orientação pedagógica e o ensino das crianças que frequentavam o pré-escolar e o 1º ciclo e muito mais tarde o 2º e o 3º ciclos.

Em 1944 estendem a sua obra ao Alandroal ( asilo/hospital) e Vila Viçosa ( lar de infância), na dependência da Diocese de Évora, marcam presença no apoio a crianças pobres em Lamego e assumem os serviços de apoio do Seminário de Aveiro. Em 1950, fundam um colégio próprio no Monte Estoril, mais tarde transferido para Cascais – dos 3 anos ao 12º ano.

E há mais mas já chega para sentir a dimensão em Portugal, um dos dezanove países onde marcam presença. Com esta abrangência e admitindo que não estamos nos melhores momentos para fazer crescer “vocações”, pode entender-se que abandonem o apoio à Educação Popular que é mais filho adoptivo do que natural … Pena que para este abandono depois de cerca de 69 anos, tenham concorrido desilusões, deslealdades, incompreensões, teimosias, falta de estímulo por parte da Associação Educação Popular que devia ter as Irmãs como âncora para garantir apoio social e orientação educativa seguras.

Vão-se embora do Bairro e muitos as recordarão com saudade. Nós que não temos vocação religiosa mas sempre respeitámos as Irmãs dedicadas, vamos recordá-las na pessoa da Irmã Ester , Margarida de nome, lutadora e “mãe” do Externato, mulher determinada e que conseguiu completar o sonho antigo: estender o pré-escolar e o 1º ciclo ao restante Ensino Básico. Pena que lhe tenham roubado o sonho cedo demais, pena que, com 88 anos, tenha de ir para longe.

Até sempre, Irmã Ester. Qualquer dia vamos a Fátima visitá-la.

4 comentários:

isa disse...

Acompanhei indirectamente esse trabalho,essas "lutas".
Pena acabar tudo...assim!
Beijo.
isa.

ZIA disse...

Obrigada pela postagem e que contente e orgulhosa vai ficar a Irmã Ester e todas as outras irmãs do Amor de Deus que tanto fizeram pelo bairro onde são tão estimadas. Oxalá se consiga ainda reverter a situação para bem de todos.
um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Esta ordem está em Fátima há bastantes anos mas creio como casa de retiros....

carla disse...

fui aluna da irma ester e de outras irmas cm a irma nazare meu filho foi aluno de irma camila a tds elas agredeco td o apoio carinho dedicacao alem disso fui criada no bairro onde cresci no convivio das irmas onde vi a crescer esta familia e deseijo que nao tenhamos que dizer adeus porque o bairro vai ficar mais pobre vai perder muito cm a saida das irmas de deus que muito tem feito por tds e muito tem a fazer ainda as criancas vao perder muito tb cm a saida delas deseijo que consiguem reverter esta situcao desculpem o testamento um abraco a tds