segunda-feira, 15 de setembro de 2008

UM ÚLTIMO RELANCE SOBRE MARROCOS


De tantas imagens recolhidas na viagem por Marrocos, ficam mais algumas, num adeus às férias de Verão deste ano: - Imagens da Cisterna subterrânea que os portugueses construíram em 1514. Primeiro foi um arsenal/depósito de armas e só mais tarde foi usada como reserva de água fresca para que a cidade de Mazagão nunca ficasse privada de água, na eventualidade de um cerco prolongado. Só é pena que todos os painéis que descrevem o funcionamento da cisterna se encontrem em árabe, francês e espanhol, estranho, não acham?

- Em Essaouira e arredores, os vestígios da presença e arquitectura portuguesa são bem evidentes.

- Uma curiosidade: por todo o lado encontrámos gatos e ninhadas. Os marroquinos adoram estes animais porque comem de tudo e são muito independentes. Quase não existem cães, nem sequer os pastores os utilizam na guarda dos animais. Dão muito trabalho e saem muito caros aos donos. Em contrapartida, as famílias marroquinas gostam muito de tartarugas e quase todas têm uma em casa. - Friso em que são evidentes diferentes técnicas decorativas: pintura sobre estuque, azulejo e pedra esculpida.
Como o Islão proíbe qualquer representação figurativa, o uso da caligrafia foi muito desenvolvido e aperfeiçoado.

- No interior da mesquita Karaouine, em Fez, o nosso guia, junto ao nicho, exemplificou como se desenvolvem as orações dos muçulmanos.


- Um pormenor do interior da casa onde foi gravada a novela «Clone» que tanto sucesso conheceu entre nós e que, hoje, acolhe uma famosa escola de música.


- Mais um pormenor do árduo trabalho dos tintureiros na fábrica de curtumes, na alcaçaria de Fez. É uma arte milenar que transforma as peles de ovelhas, cabras, vacas e camelos em couro macio e maleável que não apodrece. Apesar de já recorrerem a tintas químicas, ainda continuam a ser utilizados pigmentos naturais para tingir estas peles.


- Sepulturas ricamente ornamentadas com azulejos coloridos.


- Marrakesh, praça Jemaa el-Fna, um dos muitos carrinhos que vendem laranjas e sumos naturais, feitos à vista do cliente.


- Ritual do servir a sopa, num acampamento berbere, onde experimentámos a habitual sopa do fim do Ramadão, suculenta e com muitos legumes e especiarias.


- Engraçado e original palanque de sinaleiro, no centro da moderna cidade de Agadir.


- Mais um belo apontamento decorativo do interior do Palais des Roses, em Agadir.


- A terminar, vai uma banhoca na piscina do Palais des Roses?

2 comentários:

Isa disse...

Lindas as cores,lindas as imagens.Na próxima vez k estivermos juntas gostava de ouvir mais "coisas".Valeu?
bjo.
isa.

Rosa dos Ventos disse...

Isto de se viajar comodamente sentada ao computador não é para todos! :-))
E tinhas que encontrar gatos!

Abraço